Carregando... Carregando...
 
Busca Simples

Aluna sugere programa de interpretação para análise de fichas de substancias químicas

Camila Hubner Barcellos Devincentis

Mestranda acredita que dissertação permitirá que o assunto seja levado à indústria química possibilitando processos mais seguros

Por ACS/ Alexandra Rinaldi em 05/04/2017

A aluna do Programa de Pós–Graduação da Fundacentro, Mestrado Stricto Sensu Trabalho, Saúde e Ambiente, Camila Hubner Barcellos Devincentis, ao defender sua dissertação de mestrado, em 31 de março, sugeriu a implementação de um programa de capacitação para interpretação de fichas de substâncias químicas.

De acordo com Camila, há uma grande deficiência na interpretação das fichas de dados de segurança que dificultam o fornecimento de informações sobre perigos associados ao uso de substâncias químicas.

Desde 2011, os fabricantes e fornecedores de produtos químicos perigosos são responsáveis pela elaboração e disponibilização das fichas de dados de segurança, em diversos segmentos da indústria, mas o estudo aponta para deficiências e incoerências nas fichas examinadas.

Foram avaliadas vinte fichas de dados de segurança correspondentes a dez substâncias classificadas como commodities (compostos químicos produzidos em larga escala) e pseudocommodities (produtos diferenciados), focadas em cinco áreas de informação associadas à composição e informação sobre ingredientes, estabilidade e reatividade, propriedades toxicológicas, classificação e identificação de perigos, manuseio e armazenamento e controle da exposição.

A dissertação que recebe o título de “Aplicação do GHS no Brasil: análise do conteúdo de fichas de dados de segurança para substâncias produzidas em larga escala”, aborda o GHS (Sistema Harmonizado Globalmente para a Classificação e Rotulagem de Produtos Químicos) que estabelece o uso de frases de perigo que devem estar presentes no rótulo do produto químico perigoso ou misturado.

Camila Hubner é Química e funcionária da ABIQUIM.

Para ela, a realização do trabalho acadêmico permitirá que o assunto seja levado para a indústria possibilitando que haja processos mais seguros na indústria química. Contudo, Camila observa que ainda falta no Brasil, literatura disponível sobre o tema.

Orientada pelo pesquisador e professor do Programa de Pós, Gilmar da Cunha Trivelato, a aluna contou ainda com a participação na banca de defesa da professora do Instituto de Química da USP, Maria Eunice Ribeiro Marcondes e do médico Toxicologista, José Tarcisio Penteado Buschinelli.

Após as adequações sugeridas pela banca de defesa, a dissertação estará disponível para leitura no portal da Fundacentro.

Compartilhar:

Recomendar Notícia

Recomendar Notícia

É obrigatório o preenchimento dos campos com *

Dados remetente

Dados destinatario

Máximo de 1500 caracteres. Quantidade de caracteres digitados:

Confirmação dos dados - Recomendar essa Notícia

Dados confirmação
Recomendar para outro destinatário

FUNDACENTRO - Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho.
Sede: Rua Capote Valente, Nº 710 - CEP: 05409-002 - SÃO PAULO-SP - BRASIL - CAIXA POSTAL: 11.484 / CEP: 05422-970
Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ou parcial sem a permissão da Instituição.