Carregando... Carregando...
 
Busca Simples

> busca avançada

Fundacentro e SRT/SP articulam reativação de Comissão Estadual do Benzeno em São Paulo

Reunião na SRT/SP em 16 de maio

Governo, Trabalhadores e Empregadores indicarão representantes para cada bancada

Por ACS/ Cristiane Reimberg em 16/05/2017

A tecnologista da Fundacentro, Patrícia Dias, e o auditor fiscal da Gerência do Trabalho de São Bernardo do Campo, Anildo Passos, organizaram uma reunião com representantes dos trabalhadores e empregadores de setores que empregam ou manipulam benzeno em seu processo produtivo. O objetivo foi articular a reativação da Comissão Estadual do Benzeno de São Paulo.

Para a Comissão ser efetivada, será publicada, em breve, uma Portaria no Diário Oficial da União – DOU. Também haverá a indicação de cinco titulares e cinco suplentes por cada Bancada – Governo, Trabalhadores e Empregadores. Na reunião, Ricardo Loretti, do Sindipetro Unificado-SP, e Jorge Marini, da Abiquim, foram escolhidos para levantar, nos próximos 30 dias, com trabalhadores e empregadores, respectivamente, os representantes.

“A ideia é formalizar a nova Comissão. Nesta nova gestão, vamos indicar Anildo Passos, que é coordenador do projeto de riscos químicos da Superintendência, para coordenar a Comissão Estadual”, afirmou a chefe da Seção de Segurança e Saúde no Trabalho – Segur, da SRT/SP, Renata Matsumoto.

A Comissão Estadual do Benzeno de São Paulo não funciona desde 2014. No entanto, o estado, que possui muitas refinarias e indústrias químicas, conta com Comissões Regionais do Benzeno no ABC, no Litoral (Baixada Santista), em Campinas e em São José dos Campos, que tiveram alguns de seus representantes nesta reunião.

Uma das necessidades apresentadas foi a de que a Comissão Estadual possa levar as demandas regionais para a Comissão Nacional Permanente do Benzeno – CNPBz. Entre as futuras ações, após a formalização, está a discussão da minuta do regimento, que foi discutido pela Comissão anterior.

Os participantes também puderam apresentar algumas preocupações. Na Baixada Santista, houve o relato de que a Usiminas (ex-Cosipa) desativou a coqueria. Isso traz questões como fazer o acompanhamento dos trabalhadores que atuavam no setor e o tratamento que será dado aos resíduos.

Representantes dos trabalhadores apontaram ainda que os trabalhadores terceirizados têm mais dificuldade em receber informação; a necessidade de palestras técnicas dentro das indústrias; o incentivo aos Grupos de Trabalho do Benzeno - GTBs e à participação em fóruns de debates; o estímulo à prevenção; e o reconhecimento da presença do benzeno nos processos de trabalho.

Esse primeiro encontro ocorreu na Superintendência Regional do Trabalho - SRT/SP, em 16 de maio. Os participantes já definiram uma agenda de reuniões para este ano, previstas para os meses de agosto e novembro.

Compartilhar:

Recomendar Notícia

Recomendar Notícia

É obrigatório o preenchimento dos campos com *

Dados remetente

Dados destinatario

Máximo de 1500 caracteres. Quantidade de caracteres digitados:

Confirmação dos dados - Recomendar essa Notícia

Dados confirmação
Recomendar para outro destinatário

FUNDACENTRO - Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho.
Sede: Rua Capote Valente, Nº 710 - CEP: 05409-002 - SÃO PAULO-SP - BRASIL - CAIXA POSTAL: 11.484 / CEP: 05422-970
Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ou parcial sem a permissão da Instituição.